Jesus esvaziou-se da sua divindade ou da sua glória?

Em referência a passagem de (Fl 2,1-11), Jesus esvaziou-se da sua divindade ou da sua glória?

Anúncios

56 comentários sobre “Jesus esvaziou-se da sua divindade ou da sua glória?

  1. Pingback: Jesus, Verdadeiro Homem, Verdadeiro Deus - subsídios « EnsinoDominical.com - o blog da ebd

  2. JEUS, ESVASIOU-SE DE SUA GLORIA, SE CASO FOSSE DE SUA DIVINDADE, SERIA SÓ UM SIMPLES HOMEM, E A BIBLIA ESTARIA MENTINDO QUANDO DIZ QUE JESUS É DEUS, PORTANTO; REPITO: ELE ESVASIOU-SE DE SUA GLÓRIA E NÄO DE SUA DIVINDADE. ELE É VERDADEIRO DEUS E VERDADEIRO HOMEM

    joaoreys.reys@ig.com.br

    • Interessante, mais se vc diz que ele é Deus você provavelmente acredita na Trindade Certo? Nesse caso, o Fato de ele ter esvaziado de sua gloria seria um tanto estranho, tipo, Se a Trindade são tres Deuses coiguais qua tem mesmo poder e mesmo tudo… Só de Jesus ter se esvvaziado da sua gloria, Mesmo se analisarmos qie não foi de sua Divindade, ele estaria abaixo dos outros 2 deuses???

      • 1 Coríntios: 2. 14. Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque para ele são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. – Bíblia JFA Offline

    • COMO EU DISSE ANTES, A GLÓRIA DE JESUS É O DOXA.
      SE DESPIR DO DOXA É O MESMO QUE SE DESPIR DA DIVINDADE.
      POIS A GLÓRIA DOXA É JUSTAMENTE O QUE DÁ A ELE SUA DIVINDADE.
      COMO DISSERAM AQUI ANTERIORMENTE: ” SENHOR GLORIFICA-ME COM AQUELA
      GLÓRIA QUE EU TINHA CONTIGO ANTES”.
      OU SEJA, ELE NÃO TINHA MAIS O DOXA E SÓ O PAI PODERIA CONCEDER ISSO DE VOLTA.
      ENTENDAM DE UMA VEZ E RACIOCINEM QUE JESUS HOMEM, NÃO FOI DEUS NA SUA ESSÊNCIA EXISTENCIAL TERRESTRE .
      POIS SE ELE CONTINUASSE SENDO DIVINO EM CARNE( O QUE NÃO TEM COMO PORQUE UM SER DIVINO NÃO É COMPOSTO DE CARNE) SUA ADORAÇÃO E VIDA COM DEUS MEDIANTE A OBRA QUE VEIO FAZER NÃO SERIA PERFEITA.

      • Não somente isso, pois, quando Jesus venceu o inferno e a morte, Ele disse que, a partir daquele momento, Lhe fora dado ”todo o poder nos céus e na terra”. O que nos faz entender que antes disso Ele não o possuía plenamente (não era, portanto, onipotente).
        Segundo Isaías 11:2, as obras e maravilhas que eram operadas, bem como a ciência que possuía de enxergar os pensamentos e sentimentos dos corações, Lhe foram conferidas pelo Espirito Santo que desceu sobre ele por ocasião do batismo.
        Assim sendo, na crucificação, quando estava prestes a render Seu espirito, o Espirito Santo afastou-se d´Ele, permitindo que o pecado de toda a humanidade viesse sobre Sua pessoa, fazendo-O sentir-Se ”desamparado pelo Pai”.

    • Mas, se Ele não se esvaziou da sua divindade (onipresença, onipotência e onisciência), como pôde ocorrer os seguinte eventos:
      1 – “E Jesus crescia em sabedoria, estatura e graça na presença de Deus e de todas as pessoas” (Lc 2:52); como crescer em sabedoria se a sabedoria é aluna de Deus?
      2 – “Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai” (Mateus 24:36); onde está a onisciência divina, ou será que Ele faltou com a verdade?
      3 – ” E, por vossa causa, folgo de que eu lá não estivesse, para que creiais; mas vamos ter com ele” (Jo 11:15); como fica Sua onipresença, ou será que mais uma vez Ele faltou com a verdade?
      4 – “E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra” (Mt 28:18); se Ele era onipotente, por que, então, Ele diz que, a partir daquele momento, era Lhe dado todo o poder no céu, na terra e debaixo dela?
      Alguns dizem que se trata de antropomorfismo, mas quando digo que não sei, que não posso, que não estava em determinado lugar não sendo verdade, isso se chama MENTIRA!!!
      Outrossim, se a Palavra feita carne tivesse acrescentado a natureza humana ao Seu ser, logo, Jesus não teria se esvaziado de nada, ao contrário, teria acrescentado algo ao Seu ser. Mas a Bíblia diz que Jesus “esvaziou-se” quando veio à terra.
      Esvaziou-se do que então, se alguns dizem que Ele continuou a ter os mesmos poderes?
      Todavia, as palavras de Jesus, quando clama ao Pai, revelam que Ele deixou de ter algo: “E agora glorifica-me tu, Ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória QUE TINHA contigo antes que o mundo existisse. ( João 17:5 ).
      Deus te abençoe!!!

    • Mas, se Ele não se esvaziou da sua divindade (onipresença, onipotência e onisciência), como pôde ocorrer os seguinte eventos:
      1 – “E Jesus crescia em sabedoria, estatura e graça na presença de Deus e de todas as pessoas” (Lc 2:52); como crescer em sabedoria se a sabedoria é aluna de Deus?
      2 – “Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai” (Mateus 24:36); onde está a onisciência divina, ou será que Ele faltou com a verdade?
      3 – ” E, por vossa causa, folgo de que eu lá não estivesse, para que creiais; mas vamos ter com ele” (Jo 11:15); como fica Sua onipresença, ou será que mais uma vez Ele faltou com a verdade?
      4 – “E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra” (Mt 28:18); se Ele era onipotente, por que, então, Ele diz que, a partir daquele momento, era Lhe dado todo o poder no céu, na terra e debaixo dela?
      Alguns dizem que se trata de antropomorfismo, mas quando digo que não sei, que não posso, que não estava em determinado lugar não sendo verdade, isso se chama MENTIRA!!!
      Outrossim, se a Palavra feita carne tivesse acrescentado a natureza humana ao Seu ser, logo, Jesus não teria se esvaziado de nada, ao contrário, teria acrescentado algo ao Seu ser. Mas a Bíblia diz que Jesus “esvaziou-se” quando veio à terra.
      Esvaziou-se do que então, se alguns dizem que Ele continuou a ter os mesmos poderes?
      Todavia, as palavras de Jesus, quando clama ao Pai, revelam que Ele deixou de ter algo: “E agora glorifica-me tu, Ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória QUE TINHA contigo antes que o mundo existisse. ( João 17:5 ).
      Deus te abençoe!!!

      • Marcelo Victor, por algum momento eu quase acreditei que você fosse um homem inteligente, mas ao terminar a leitura de seu comentário tive a certeza de estar enganado.
        Quando entramos no Santuário do Livro Sagrado com o Espírito pré-concebido não conseguimos enxergar a realidade dos textos Bíblicos.

        Por exemplo: Lucas 2:52 enfatiza a condição humana de Cristo na terra; como homem, era necessário que ele aprende-se a mamar, comer, andar, correr, falar e etc… Ele foi feito “homem” “ser humano” e precisa passar por tudo que um ser humano passa, caso contrário Ele não seria um ser completamente humano.

        Mateus 24:46 & Marcos 13:32 “Porém daquele Dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, mas unicamente meu Pai.” Compare com: João 4:16-19; 6:64; 16:30; 21:6; Mateus 11:27; 12:25; Colossenses 2:3. Vários exemplos da onisciência de Jesus.
        O que acontece com esse texto de Mateus 24:36, é que Jesus como homem, não precisava saber de coisas que pertencem ao Pai. Ele estava submisso. Ele deixou a independência para ser dependente.

        O mais ridículo de todos os argumentos que você usou é este: João 11:15. Meu amigo, conjuro-te que procures um psiquiatra imediatamente. Se Jesus tinha um corpo físico, como poderia ele estar em todos os lugares ao mesmo tempo. Agora leia Mateus 8:26,27 e 28.

        Mateus 28:18, misericórdia XÓVEM!
        Leia Mateus 8:23-27 e compare com Salmos 65:7; 89:9; 107:29 e leia também João 10:17-21.

        Sugiro que leia a Bíblia com mais atenção, debaixo de orações pedindo ao Espírito Santo que lhe ajude na compreensão do texto Bíblico.

        Graça e Paz!

      • essa pergunta é para o Jonathan Braga se em João 16:30 Jesus sebe de tudo se contrasta com Mateus 24:36, Jesus sabia de tudo isso e entendido como alguém mt sábio pq não sabia a cerca daquele dia e hora e tb pq o Espirito Santo não sabia? mais unicamente o pai? e tb Jesus aprendeu com o sofrimento Hebreus 5:8. temos q deixar q a bíblia interprete a si mesma.

  3. Sendo Deus, manifestou-se pela vontade de Seu Pai, a que os homens pudessem, reconhecer a Deus. Andou aqui, em forma humana, mas não deixou de ser Deus, inclusive presente. Cumprindo todas as coisas determinadas, voltou aos céus, à sua glória. “REI DOS REIS”… Já o era antes de tudo, juntamente dom seu Pai: 6 pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus;
    7 antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana,

  4. Jesus se esvaziou de tudo, tornando-se puramente homem, visto que se contasse com atributos próprios da divindade ele contaria com recursos especiais, o que amenizaria seus sofrimentos e morte (Ele foi moído) como um humano comum.

    • Vou mais além, se Ele não fosse EM TUDO semelhante aos homens, o sacrifício não seria perfeito, como está dito em Cl 2:17: “Por isso convinha que EM TUDO fosse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote naquilo que é de Deus, para expiar os pecados do povo”.
      Por isso, Jesus pôde ser chamado de segundo Adão, pois foi milagrosamente gerado no ventre de Maria, pelo Espírito Santo, com a mesma natureza do primeiro Adão (em estado de perfeição moral, como o primeiro).
      Essa foi a “glória” que os discípulos viram n’Ele, quando se fez carne e habitou entre nós, pois da divindade (onipotência, onisciência e onipresença) Ele se esvaziou:
      “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua GLÓRIA, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade” (Jo 1:14).

  5. O Senhor Jesus se esvaziou de sua glória tomando forma de homem,pois se viesse em glória, imagino que seria algo temível ” Ap 21:23, 22: 5″ porém não deixou de ser Deus, pois a própria Escritura afirma que ele não usurpou ser igual a Deus, ou seja ele tinha todo poder tanto no céu quanto na terra mas enquanto estava na terra não usurpou ser igual a Deus mas tomando forma de servo, ele fez tudo como homem de Deus, não usando a sua divindade como um auxilio extra, ele podia mas não o fez e não o fez por opção, e com auxílio do Espirito Santo ele se humilhou até a sua morte e morte de cruz. Nos dando o exemplo de obediência ao Pai Cestial.

    • Ele não tinha todo poder no céu e na terra. O poder Lhe foi dado depois que Ele venceu o inferno e a morte, conforme nos mostra a Bíblia: ” É me dado todo poder no céu e na terra” (Mt 28:18).
      Tenho por mim que Jesus era como Adão (antes da queda), puro, cheio de sabedoria e perfeitamente homem, cuja única tentação era ser igual a Deus (como ocorreu com Adão).
      Os poderes que Jesus manifestou Lhe foram dados, somente depois que foi ungido pelo Espirito Santo, quando iniciou, então, o Seu ministério (Is 61:1).

  6. Paz e Graça da parte de nosso Senhor seja convosco.
    Irmãos, esse é uma questão extremamente difícil, acho que qualquer discussão nesse sentido não pode deixar de lado o fato de que Jesus afirmou aos seus discípulos que fariam milagres até maiores que Ele fez, o fato é que Ele até poderia ter abdicado deese poderes, más com certeza Ele nunca deixou de ter seus atributos divinos como: onisciência, onipresensa e onipotência, não podemos deixar de lado o fato de uqe o pecado entrou no m undo através de um homem, e teria que ser vencido através de um homem, afinal a promessa seria a cabeça da serpente teria que ser esmagada pela semente da mulher, e semente de mulher só pode ser humana, penso eu que para que Jesus pudesse cumprir sua missão na terra teria que deixar de utilizar seus atributos divinos, afinal pela fé e através do poder de Deus nos é garantido que podemos tabém realizar todos os milagres realizados por Jesus aqui na terra, o que nunca podemos esquecer é que Jesus jamais perdeu seus atributos divinos ou deixou de ser plenamente Deus, Ele apenas não se utilzou dele.
    Espero que meu comentário abra um pouco o entendimento dos amados irmãos.

    • A Bíblia nos mostra que quando a Palavra de Deus se fez carne, Ela não manteve alguns de Seus atributos, ao contrário, esvaziou-se de Sua glória.
      Jesus não era onisciente, caso contrário, quando Lhe foi perguntado sobre a Sua segunda vinda, Ele não teria respondido, por exemplo, que nem Ele e nem os anjos sabiam da data, mas unicamente o Pai.
      Jesus não era onipresente, pois um corpo não pode ocupar dois lugares no espaço ao mesmo tempo. Ele não estava presente, por exemplo, quando Lazaro, Seu amigo, ficou enfermo (Jo 11:1).
      Jesus não era onipotente, pois recebeu todo o poder somente depois que venceu o inferno e a morte (Mt 28:18).
      Em contrapartida, foram mantidos, sim, os atributos morais da Palavra, quais sejam: bondade (Ela continuou sendo a fonte de toda bondade), santidade (Ela continuou sendo absolutamente distinta de todas as criaturas de Deus, exaltada acima delas em majestade infinita, não havendo, em si, qualquer mal moral) e justiça (Ela continuou sendo reta e irrepreensivelmente apegada à lei moral do Criador).
      Mas como eram operados os milagres e como Jesus sabia de coisas que aconteciam à distancia? Pelo Espírito Santo que o ungiu no batismo e que lhe revelava tudo.
      Em cetra ocasião Jesus disse: ”Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras” (João 14:10).
      Será que em tudo isso Jesus estava mentindo? Creio que não, pois Seus atributos morais não O permitiriam fazê-lo.

  7. IRMAOS, ESTE ASSUNTO E EXTREMAMENTE DELICADO, TEMOS QUE TOMAR CUIDADO PARA NAO PECARMOS CONTRA O ESPIRITO SANTO DE DEUS. TEMOS QUE CRER PIAMENTE QUE ELE SE ESVAZIOU DA SUA GLORIA, POIS E BIBLICO. A PALAVRA DIZ QUE TUDO QUE FOR CONTRARIO A ESTE EVANGELHO (CRISTIANISMO), SEJA ANATEMA, NAO TEM VALOR ALGUM. AGORA, TEMOS QUE ENTENDER QUE TUDO QUE ESTA NA BIBLIA, CREMOS E PELA ( FE ). QUE DEUS ILUMINE OS NOSSOS PENSAMENTOS. PAZ

    • CARO IRMÃO JOSEMAR, BLASFEMAR CONTRA O ESPÍRITO SANTO É QUANDO ALGUÉM O OFENDE E O INSULTA DIRETAMENTE E CONSCIENTE DO QUE ESTÁ FAZENDO.
      E NÃO EXPOR UMA OPINIÃO AFIM DE ESCLARECER PONTOS BÍBLICOS.
      E OUTRA, ANÁTEMA É QUEM NÃO PREGA A JESUS,SE NÃO A OUTRO DEUS.
      DEIXE TUA OPINIÃO EXPRESSA QUE ESTAREMOS PRONTOS A TE AJUDAR.
      FICA NA PAZ.

  8. a biblia diz que Jesus perdoou pecados( que só sendo Deus poderia fazer) por isso acredito que Ele esvaziou-se de sua gloria , conforme sua oração em jo17.5(…com aquela gloria que tinha…)e tambem de suas riquezas em 2co8.9(…se fez pobre…).

    • meu caro amigo roberto: se perdoar pecados indica Deidade entao como explicar Joao 20.23; onde Jesus literalmente da aos apostolos o direito de perdoar pecados?

  9. Jesus esvaziou-se da sua gloria, de todo poder que ele possui. AP21v23 AP22v5. ele nao se esvaziou-se sua divindade, sendo assim ele seria como qualquer homem.

  10. A Paz do Senhor irmãos!
    Jesus jamais deixou de ser Deus, mas Ele por não ter parte no pecado, não teve ganancia, egoismo e tantos outros atributos negativos da natureza pecaminosa do homem, não usou seu poder a seu favor, mas sim em favor dos necessitados. se Jesus tivesse se esvaziado de sua divindade com realizaria tantos milagres e maravilhas…” homem nenhum pode perdoar pecados, nem mesmo os que andaram e viram o mestre face a face” . ter comunhão com Deus nos da o direito de realizar maravilha, prodigios, mas perdão de pecados é só com o proprio Deus!!!

    • IRMÃO JADERSON , NA VERDADE É UM ERRO ATRIBUIR O PECADO A NATUREZA HUMANA PORQUE DEUS CRIOU ADÃO SEM PECADO.
      ELE PECOU E ISSO FEZ COM QUE RECEBÊSSEMOS ESSA NATUREZA REBELDE.
      O PRIMEIRO ADÃO PECOU E O SEGUNDO ADÃO(JESUS) NÃO PECOU.
      QUANDO ELE DISSE AOS DISCÍPULOS QUE A CARNE ERA FRACA ELE FALAVA DE SI MESMO.
      A BÍBLIA DIZ QUE JESUS ESTE SUJEITO AS MESMAS PAIXÕES QUE NÓS.
      QUANTO AO QUE VC DISSE QUE SE JESUS NÃO FOSSE DEUS,COMO REALIZARIA TANTOS MILAGRES, ISSO ELE MESMO DISSE QUE EM NOME DELE TODOS OS HOMENS PODERIAM FAZER IGUAIS OU AINDA MAIORES DO QUE ELE FEZ.
      O FATO DE ELE PODER PERDOAR PECADOS SEMPRE COMO NAQUELA OCASIÃO
      COM O PARALÍTICO NÃO DIZ QUE ELE TINHA DIVINDADE OU GLÓRIA.
      ELE TINHA AINDA A SUA AUTORIDADE DIVINA MAS AINDA SIM ERA UM HOMEM DE CARNE
      E NÃO PARECIDO COM CARNE.
      NESSE CASO ELE USOU A SUA AUTORIDADE PORQUE ELE AINDA ERA FILHO DE DEUS
      E A SUA ORIGEM AINDA ERA DIVINA.

      • O Senhor Jesus disse que não era Ele quem fazia as obras, mas o Pai que estava n´Ele (Jo 14:10), de sorte que, ao ser ungido pelo Espirito Santo de Deus, no batismo (Is 66:1), o poder de Deus se manifestou poderosamente em Seu ser, realizando as obras, através das Suas mãos.
        Até porque, quando se fez carne, a Palavra de Deus esvaziou-se da Sua glória e não possuía, por exemplo, os atributos da onisciência, onipresença e onipotência. Caso contrario, ou seja, se os possuísse, não seria perfeitamente homem.
        Os atributos morais de Deus, em contrapartida, a Palavra de Deus, mesmo se fazendo carne, os manteve.

  11. A paz do senhor irmão!!
    Realmente, Cristo não poderia se esvaziar de sua divindade, ou seja, Ele não poderia deixar de ser divino, pois vejamos o diz o seguinte versículo em Colossenses 2:9
    ( Portanto, NELE, habita toda a PLENITUDE da DIVINDADE )
    Notemos que em essência divina, Cristo tem em si, toda essa plenitude.
    Já em relação ao termo esvazia-se; esse termo está interligado ao sentido de humildade, pois Cristo sendo Deus se submeteu ao posicionamente de servo.
    Com isso, a essência hermenêutica do versículo, nos ensina que devemos tem em mente o mesmo sentimento que houve em Cristo, ou seja, sentimento de humildade, pois foi o próprio Jesus que outrora afirmou em MT 11:29, aprendam de mim que sou humilde de coração

    theologia-max.blogspot.com/

      • Possivelmente, quando a Bíblia fala de ”plenitude da divindade”, Ela está falando dos atributos morais de Deus, pois, quando a Palavra de Deus se fez carne, Ela não manteve alguns de Seus atributos, ao contrário, esvaziou-se da Sua glória.
        Jesus não era onisciente, caso contrário, quando Lhe foi perguntado sobre a Sua segunda vinda, Ele não teria respondido, por exemplo, que nem Ele e nem os anjos sabiam da data, mas unicamente o Pai (Mt 24:36).
        Jesus não era onipresente, pois um corpo não pode ocupar dois lugares no espaço ao mesmo tempo. Ele não estava presente, por exemplo, quando Lazaro, Seu amigo, ficou enfermo (Jo 11:1).
        Jesus não era onipotente, pois recebeu todo o poder somente depois que venceu o inferno e a morte (Mt 28:18).
        Em contrapartida, foram mantidos, sim, os atributos morais da Palavra, quais sejam:
        – bondade (Ela continuou sendo a fonte de toda bondade),
        – santidade (Ela continuou sendo absolutamente distinta de todas as criaturas de Deus, exaltada acima delas em majestade infinita, não havendo, em si, qualquer mal moral), e
        – justiça (Ela continuou sendo reta e irrepreensivelmente apegada à lei moral do Criador).
        Todavia, alguém poderia perguntar: então como eram operados os milagres, como Jesus sabia de coisas que aconteciam à distancia e como enxergava os corações dos homens?
        Pelo Espírito Santo que O ungiu no batismo e que lhe revelava tudo, operando as obras maravilhosas (Is 61:1).
        Em certa ocasião Jesus disse: ”Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras” (João 14:10).
        Será que em tudo isso Jesus estava mentindo? Creio que não, pois Seus atributos morais não O permitiriam fazê-lo (nesse aspecto Ele era plenamente Deus).
        Agora, se formos um pouco mais além e entendermos que, não é por que a Palavra de Deus se fez carne, que o Senhor Deus ficou mudo no céu, então entenderemos que embora a Palavra de Deus tenha se tornado carne, Ela permaneceu, milagrosamente, no seio do Pai, onde nunca deixou de estar, em virtude do atributo da onipresença divina (Jo 3:13).

  12. Não há dificuldade em compreender que Jesus, enquanto homem na terra, sendo esse um dos seus estados de humilhação, não lançou mão dos atributos divinos para exercer seu ministério, mas sujeitou-se a ser cheio do Espírito Santo conforme vaticina Is 61.1-3, cumprido no dia que foi batizado por João Batista, Mt 3.16,17. Portanto, até nisso, Ele foi exemplo para os que querem exercer um ministério ungido e cheio de graça e poder. Jesus venceu como homem cheio do Espírito e em total obediência a vontade do Pai. Ele é Deus bendito eternamente, amém.

    • voce falou certo, ele fez a vontade do seu Pai, mas Jesus não é um Deus com D maiusculó e sim um deus com d menusculó. pois Jesus é o filho de Deus e nunca quis tomar o lugar que pertence a seu Pai.

    • Me parece que a expressão ”esvaziou-se da Sua glória” nos indica que, ao se fazer carne, a Palavra de Deus desproveu-se de Seus atributos naturais, mantendo, no entanto, plenamente os atributos morais, por isso está dito que em Jesus habitava toda a plenitude da divindade (Cl 2:9).
      Jesus não era onisciente, caso contrário, quando Lhe foi perguntado sobre a Sua segunda vinda, Ele não teria respondido, por exemplo, que nem Ele e nem os anjos sabiam da data, mas unicamente o Pai (Mt 24:36).
      Jesus não era onipresente, pois um corpo não pode ocupar dois lugares no espaço ao mesmo tempo. Ele não estava presente, por exemplo, quando Lazaro, Seu amigo, ficou enfermo (Jo 11:1).
      Jesus não era onipotente, pois recebeu todo o poder somente depois que venceu o inferno e a morte (Mt 28:18).
      Em contrapartida, foram mantidos, sim, os atributos morais da Palavra, quais sejam:
      – bondade (Ela continuou sendo a fonte de toda bondade),
      – santidade (Ela continuou sendo absolutamente distinta de todas as criaturas de Deus, exaltada acima delas em majestade infinita, não havendo, em si, qualquer mal moral), e
      – justiça (Ela continuou sendo reta e irrepreensivelmente apegada à lei moral do Criador).
      Todavia, alguém poderia perguntar, então: como eram operados os milagres, como Jesus sabia de coisas que aconteciam à distancia e como enxergava os corações dos homens?
      Pelo Espírito Santo que O ungiu no batismo e que lhe revelava tudo, operando as obras maravilhosas (Is 61:1).
      Em certa ocasião Jesus disse: ”Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras” (João 14:10).
      Será que em tudo isso Jesus estava mentindo? Creio que não, pois Seus atributos morais não O permitiriam fazê-lo (nesse aspecto Ele era plenamente Deus).
      Agora, se formos um pouco mais além e entendermos que, não é por que a Palavra de Deus se fez carne, que o Senhor Deus ficou mudo no céu, então entenderemos que embora a Palavra de Deus tenha se tornado carne, Ela permaneceu, milagrosamente, no seio do Pai, onde nunca deixou de estar, em virtude do atributo da onipresença divina (Jo 3:13).

  13. Deixou de lado sua posição elevada, seu poder, foi humilde e veio a terra como humano perfeito e viveu entre nós.

    • as pessoas confundem esvaziar se de sua gloria com divindade.Cristo ao tomar a forma humana ele acrescentou a forma humana.que e o projeto do pai,e foi obediente ate a morte e morte de cruz. como Deus perdoou pecados .,declarou aquele que haveria de trailo(oniciencia) ressucitou mortos….todo poderoso… como homem chorou,cansou, teve sede…….nao tem como negar oque ele è ele Deus

  14. JO:1.14,JO:3.13,MT:28:18, QUERIDO SE VOCÊ NÃO ENTENDE DE ESVAZIAMENTO,É MELHOR PROCURA UMA ESCOLA DE THEOLOGIA, ESVAZIAMENTO, É PERDA DA VIDA,PERDA DA GLORIA, PERDA DE PODER ENQUANTO O HOMEM ESTA NO CORPO,ISSO É NA CARNE,MAIS O ESPIRITO SEMPRE ESTA PRONTO E VIVO,SIGNIFICA QUE A SUA VIDA ESTA SUSPENSA ENQUANTO A CORPO ESTA SEM VIDA,DE FORMA QUE SUA GLORIA SE FOI E NÃO SE PODE TERLA MAIS, ENQUANTO ESTIVER NO CORPO DESTA CARNE,POREM NA RESSUREIÇÃO TEREMOS A VIDA DE VOLTA ISTO É A GLORIA QUE VOCÊ PERDEU, POR ISSO ELE RESSUCITOU AO TERCEIRO DIA , PRA TOMAR POSSE DA SUA GLORIA.MT:28.18.

    • TUA RESPOSTA,IRMÃO JOSELINO,FOI PERFEITA.
      MAS NÃO DIGA QUE A ESCOLA DE TEOLOGIA É A CHAVE PRA SE ENTENDER SOBRE AS COISAS DE DEUS.
      A BÍBLIA TEM MAIS AUTORIDADE QUE A TEOLOGIA.
      POR MELHOR QUE SEJA O CURSO TEOLÓGICO, O FIRMAMENTO DELE ESTÁ EM ENTENDIMENTO HUMANO.
      AO CONTRÁRIO DA BÍBLIA QUE FOI ESCRITA POR ORDEM DIVINA.
      TEOLOGIA SEM BÍBLIA NÃO É NADA E BÍBLIA SEM TEOLOGIA CONTINUA SENDO SEMPRE A MESMA.

      • Perfeito seu raciocínio, caro Pianista 1000.
        Me parece que a expressão ”esvaziou-se da Sua glória” nos indica que, ao se fazer carne, a Palavra de Deus desproveu-se de Seus atributos naturais, mantendo, no entanto, plenamente os atributos morais, por isso está dito que em Jesus habitava toda a plenitude da divindade (Cl 2:9).
        Jesus não era onisciente, caso contrário, quando Lhe foi perguntado sobre a Sua segunda vinda, Ele não teria respondido, por exemplo, que nem Ele e nem os anjos sabiam da data, mas unicamente o Pai (Mt 24:36).
        Jesus não era onipresente, pois um corpo não pode ocupar dois lugares no espaço ao mesmo tempo. Ele não estava presente, por exemplo, quando Lazaro, Seu amigo, ficou enfermo (Jo 11:1).
        Jesus não era onipotente, pois recebeu todo o poder somente depois que venceu o inferno e a morte (Mt 28:18).
        Em contrapartida, foram mantidos, sim, os atributos morais da Palavra, quais sejam:
        – bondade (Ela continuou sendo a fonte de toda bondade),
        – santidade (Ela continuou sendo absolutamente distinta de todas as criaturas de Deus, exaltada acima delas em majestade infinita, não havendo, em si, qualquer mal moral), e
        – justiça (Ela continuou sendo reta e irrepreensivelmente apegada à lei moral do Criador).
        Todavia, alguém poderia perguntar, então: como eram operados os milagres, como Jesus sabia de coisas que aconteciam à distancia e como enxergava os corações dos homens?
        Pelo Espírito Santo que O ungiu no batismo e que lhe revelava tudo, operando as obras maravilhosas (Is 61:1).
        Em certa ocasião Jesus disse: ”Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras” (João 14:10).
        Será que em tudo isso Jesus estava mentindo? Creio que não, pois Seus atributos morais não O permitiriam fazê-lo (nesse aspecto Ele era plenamente Deus).
        Agora, se formos um pouco mais além e entendermos que, não é por que a Palavra de Deus se fez carne, que o Senhor Deus ficou mudo no céu, então entenderemos que embora a Palavra de Deus tenha se tornado carne, Ela permaneceu, milagrosamente, no seio do Pai, onde nunca deixou de estar, em virtude do atributo da onipresença divina (Jo 3:13).

  15. PARA COMPLEMENTAR A INTELIGENTE RESPOSTA ANTERIOR QUERO RESSALTAR UM DETALHE:
    NÓS APRENDEMOS O TERMO TEOLÓGICO QUE SE DIZ QUE JEUS FOI 100%HOMEM E 100% DEUS,MAS A PRÓPRIA BÍBLIA CONTRADIZ ESSE TERMO MOSTRANDO QUE JESUS OBVIAMENTE ENQUANTO HOMEM NÃO ERA ETERNO,SE NÃO MORTAL.
    NEM ERA ONIPOTENTE PORQUE ESTAVA SUJEITO AS MESMAS LEIS VITAIS QUE NÓS(COMER .BEBER,FICAR DOENTE,DORMIR,ETC.)
    A BÍBLIA DIZ EM HEBREUS 2:9 QUE JESUS POR UM POUCO (33 ANOS) FOI FEITO UM POUCO MENOR DO QUE OS ANJOS.
    ENTÃO NESSE CASO ELE ESVAZIANDO-SE DE SUA GLÓRIA PODE ,COM CERTEZA,SIGNIFICAR O MESMO QUE ESVAZIAR-SE DA SUA DIVINDADE . POIS CASO CONTRÁRIO ELE TERIA VANTAGENS SOBRE OS DEMAIS HOMENS EU AS TENTAÇÕES A QUE FOI SUBMETIDO NÃO PODERIA ACARRETAR A ELE AS MESMAS SENSAÇÕES OU ATÉ MESMO EFEITOS QUE SÃO TÃO DEVASTADORES A NÓS HUMANOS.
    ELE SE TRANSFORMOU LITERALMENTE EM UM HUMANO E NÃO SE DESFARÇOU DE TAL.
    A GLÓRIA NESSE CASO SE REFERE AO DOXA(GLÓRIA PERTENCENTE SOMENTE A DEUS). ELE SE ESVAZIOU DO SEU DOXA ENTENDEM?
    OU SEJA DEIXOU DE SER DIVINO EM SUA ESCÊNSSIA.
    NÃO NA ORIGEM MAS NA ESCÊNSSIA SIM PORQUE NA ESCÊNSSIA UM DEUS NÃO UM NÃO PRECISA COMER E ELE COMUE, NÃO PRECISA BEBER E ELE BEBEU NÃO DORME E ELE DORMIU NÃO SE CANSA E ELE SE CANSOU ,EU DEUS NÃO MORRE E ELE MORREU.
    ENFIM ELE SE TORNOU ALGUÉM SUJEITO AS MESMAS FRAQUEZAS QUE NÓS.
    E QUANDO ELE RESSUCITOU ELE DISSE QUE A ELE FOI DADO TODO O PODER NOS CÉUS E NA TERRA.
    A BÍBLIA DIZ QUE ELE HUMILHOU-SE A SI MESMO,QUE ELE SE DEZPIU DE A SI MESMO,QUE ELE SE DEZPIU DE SUA GLÓRIA E QUE ELE NÃO TEVE POUR USUSRPAÇÃO SER IGUA A DEUS.
    PORTANTO VAZIO SEM SEU DOXA (GLÓRIA DIVINA) ELE FOI TÃO HUMANO QUAN TO EU E VOCÊS.
    MAS ESSE FATOR NÃO DIMINUI JESUS,SE NÃO SÓ NOS ENSINA QUE O SACRIFÍCIO DELE TEM MAIS VALOR DO QUE O QUE NÓS APRENDEMOS POR TANTOS SÉCULO DEPOSI DE SUA MORTE E RESSURREIÇÃO,ALELUIAS!

    • Concordo plenamente, caro Hebert. Me parece que a expressão ”esvaziou-se da Sua glória” nos indica que, ao se fazer carne, a Palavra de Deus desproveu-se de Seus atributos naturais, mantendo, no entanto, plenamente os atributos morais, por isso está dito que em Jesus habitava toda a plenitude da divindade (Cl 2:9).
      Jesus não era onisciente, caso contrário, quando Lhe foi perguntado sobre a Sua segunda vinda, Ele não teria respondido, por exemplo, que nem Ele e nem os anjos sabiam da data, mas unicamente o Pai (Mt 24:36).
      Jesus não era onipresente, pois um corpo não pode ocupar dois lugares no espaço ao mesmo tempo. Ele não estava presente, por exemplo, quando Lazaro, Seu amigo, ficou enfermo (Jo 11:1).
      Jesus não era onipotente, pois recebeu todo o poder somente depois que venceu o inferno e a morte (Mt 28:18).
      Em contrapartida, foram mantidos, sim, os atributos morais da Palavra, quais sejam:
      – bondade (Ela continuou sendo a fonte de toda bondade),
      – santidade (Ela continuou sendo absolutamente distinta de todas as criaturas de Deus, exaltada acima delas em majestade infinita, não havendo, em si, qualquer mal moral), e
      – justiça (Ela continuou sendo reta e irrepreensivelmente apegada à lei moral do Criador).
      Todavia, alguém poderia perguntar, então: como eram operados os milagres, como Jesus sabia de coisas que aconteciam à distancia e como enxergava os corações dos homens?
      Pelo Espírito Santo que O ungiu no batismo e que lhe revelava tudo, operando as obras maravilhosas (Is 61:1).
      Em certa ocasião Jesus disse: ”Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras” (João 14:10).
      Será que em tudo isso Jesus estava mentindo? Creio que não, pois Seus atributos morais não O permitiriam fazê-lo (nesse aspecto Ele era plenamente Deus).
      Agora, se formos um pouco mais além e entendermos que, não é por que a Palavra de Deus se fez carne, que o Senhor Deus ficou mudo no céu, então entenderemos que embora a Palavra de Deus tenha se tornado carne, Ela permaneceu, milagrosamente, no seio do Pai, onde nunca deixou de estar, em virtude do atributo da onipresença divina (Jo 3:13).
      Por esse prisma, a Palavra de Deus continuou sendo plenamente Deus em todos os aspectos, morais e naturais.

  16. RESUMINDO, ESVAZIAR-SE DA GLÓRIA DOXA DÁ NO MESMO QUE ESVAZIAR-SE DE SUA DIVINDADE.
    VAZIO DE SUA DIVINDADE NÃO É MAIS DEUS E SIM HOME.
    E COMO ELE CUMPRIU O DESÍGNO DO PAI,ELE RETOMOU SUA GLÓRIA DOXA(DIVINDADE) DE VOLTA.

  17. JESUS se esvaziou de sua glória pois no evangelho de João no cap. 17 em sua oação Ele pede ao Pai que lhe dê a glória que tinha desde a fundação do mundo.

  18. Jesus não deixou de ser Deus não existe isso , ele apenas deixou o lugar onde era adorado servido a sua gloria como diz a palavra . Jesus veio em carne e quem nega isso a Biblia diz que o anticristo. Quanto sua divindade ele não tirou proveito dela , ele curou , expulsou demônios , trouxe pessoas a vida sim , mais isso não prova que ele usou sua divindade pois ele disse que aquele que cresse nele obras maiores faria.A prova que ele era homem esta na modo em que ele sentia dor , e a prova que ele continuava sendo Deus esta no momento em que ele recebe adoração e perdoa pecados pois so Deus tem esse poder. A Ele a Gloria pelos séculos e séculos . Amem

    • MARCELO, OLHA SÓ.
      VOCÊ TEM QUE ENTENDER QUE O QUE FAZ COM QUE JESUS SEJA DEUS É A GLÓRIA DOXA. SE ELE SE DESPIU DE SUA GLÓRIA (DOXA), DEIXOU DE SER DEUS PRA SE TORNAR HOMEM. ALÉM DO QUE ELE DISSE QUE FARÍAMOS AS MESMA OBRAS QUE ELE E AINDA MAIORES.
      SE ELE CONTINUASSE SENDO DEUS ,ELE TERIA VANTAGENS DIVINAS SOBRE OS DEMAIS HOMENS E ENTÃO A OBRA NÃO SEIRA PERFEITA. ATÉ PORQUE , NO EVANGELHO DE JOÃO DIZ: NO PRINCÍPIO O VERBO “ERA” DEUS.
      JESUS FOI ,DURANTE 33 ANOS DA SUA ETERNIDADE ,APENAS HOMEM.
      A ÚNICA COISA QUE ELE TINHA DE DIVINO ERA A SUA ORIGEM ,MAS NA ESSÊNCIA EXISTENCIAL FOI SOMENTE DE HOMEM. SE NÃO A BÍBLIA DEVERIA DIZER QUE ELE SE PARECEU CARNE E NÃO QUE SE FEZ.
      E DIGO MAIS, MUITOS DIZEM QUE SE JESUS NÃO QUISESSE MAIS EXERCER A VONTADE DE DEUS E NÃO FOSSE ATÉ A CRUZ, FICARIA TUDO BEM E NÓS IRÍAMOS SER CONDENADOS INCONDICIONALMENTE. TÁ ERRADÍSSIMO.
      SE ELE FIZESSE TAL COISA, SERIA DESOBEDIÊNCIA.
      AO CONTRÁRIO DO QUE SE PENSAM, ISSO NÃO DIMINUI A JESUS. PELO CONTRÁRIO, MOSTRA QUE ELE REALMENTE VENCEU O MUNDO SOZINHO E COMO SOMENTE HOMEM.
      PARA QUE NINGUÉM PUDESSE SE JUSTIFICAR DOS PECADOS.
      OU SEJA, MOSTRA QUE SUA OBRA REDENTORA É MUITO MAIOR DO QUE O QUE APRENDEMOS DURANTE TANTOS ANOS.
      ESTE MEU COMENTÁRIO PARECE ESCÂNDALO, MAS SE AS PESSOAS ESTUDASSEM MAIS BÍBLIA DO QUE TEOLOGIA, APRENDIZADOS COMO ESSE SERIAM COMUNS.

      • Seu comentário é perfeito em muitos aspectos, mas é bom não esquecermos que Jesus era a Palavra de Deus que se fez carne (Ap 19:13 e Jo 1:1).
        Ou seja, sendo Deus, a Palavra, por amor e infinita misericórdia, decidiu morrer pelos pecadores (Jo 10:18). Todavia, ao se fazer carne, nem por isso Deus ficou mudo nos céus, pois a Palavra de Deus é onipresente.
        Para entendermos esse mistério, basta vermos o que ocorreu por ocasião do batismo de Jesus, pois, embora a Palavra de Deus estivesse corporalmente na terra, uma voz bradou do céu dizendo: ”Este é meu Filho amado!” (Mt 3:17).
        O mesmo ocorreu, por exemplo, na morte de Jesus Cristo, pois embora o Filho de Deus tenha ficado três dias e três noites no seio da terra (Mt 12:40), a Palavra estava viva no coração e na boca de Deus, estava viva na mente dos apóstolos e estava sendo lida nas casas e no Templo, pois é espírito e vida (Jo 6:63). Deus te abençoe!!!

  19. A PAZ ,gostaria de deixar meu pesamento sobre esse assunto,todos falam que jesus seria o segundo Adão ,que por um morreremos ,por um seriamos salvos.
    gostaria de fazer em duas partes (JESUS E ADÃO)

    1)Adão foi fruto do pecado NAo
    1)jesus quando nasceu era fruto do pecado , tambem não

    2)Adão e eva tinham natureza pura quando eram tentados? SIM
    2)JESUS tinha natureza pura quando foi tentado? sim

    3) Adão resistiu ao diabo que veio com uma proposta de ser igual a DEUS (SABER TUDO)?NÃO
    3)JESUS resistiu ao diabo que veio com uma proposta de ser igual a DEUS (SER DONO DE TUDO)?SIM
    Concluindo JESUS veio igual a Adão, um resistiu e o outro não ,

    DEUS tem acima de tudo sua justiça, muitos pensam que e o amor , mas ele te ama muito mas se for condenado , mesmo com muito amor o pecador vai pro inferno,
    O diabo não ia ficar brincando de atentar ele próprio a jesus se não houvesse possibilidade de JESUS cair .

    embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se;
    mas ESVAZIOU-SE a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se SEMELHANTE aos homens
    Filipenses 2:6,7

    3 Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em SEMELHANÇA DA CARNE DO PECADO, pelo pecado condenou o pecado na carne;
    JESUS veio ao mundo como Adão para ser justo (se tivesse vindo de uma relaçao seria diferente) ,pois adão não viera de uma relação ))colocou toda sua divindade em risco por noz ,mas superou pois vivera em espirito,

    • Gostei muito do seu comentário e pra por uma pimentinha a mais, eu gostaria de acrescentar algo.
      A Bíblia diz que que Jesus Cristo (a Palavra de Deus que se fez carne) era a expressa imagem do Deus invisível (Cl 1:15).
      Pois bem, mas, olha o que a Bíblia diz em relação a Adão e Eva: ”E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou” (Gn 2:27).
      A unica diferença talvez resida no fato de que Adão foi feito alma vivente e Cristo, espirito vivificante (1 Co 15:45), porém isso somente ocorreu, salvo erro, depois que Ele venceu o inferno e a morte (Mt 28:18).
      Deus te abençoe!!!

  20. Deus se fez abaixo se esvaziou de sua glória mesmo sendo Deus foi humilde até na morte,se tornando cada vez mais filho amado pois o seu nome glorifica o seu pai q estar no céu. Enfim ele se esvaziou mas ao terceiro dia DEUS pai o engrandeceu.. Fazendo cm q todo joelho se dobre e todo língua confece q Jesus é Santo

  21. Excelentes as respostas do pianista1000 e do Herbert Rocha. Eu também concordo com estas posições. O livro de Hebreus é bastante esclarecedor a esse respeito. Não tem como, Jesus aqui na terra foi homem perfeito, sem divindade. Era sim Deus, mas se tornou homem e nesse período de encarnação, era homem. Deus não morreu como alguns teólogos e filósofos afirmam, se assim fosse, quem O ressuscitaria? Então, após a morte de Jesus, Deus (Pai) o ressuscitou e lhe deu novamente a sua Glória.

  22. Estudo 29 – O Autoesvaziamento de Cristo

    1 – A ORIGEM DO CONCEITO

    Essa questão está ligada à palavra derivada de kenosis contida em Fp 2.7.

    “Antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana” (ARA).

    “Mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens” (NVI).

    “ἀλλὰ ἑαυτὸν ἐκένωσεν[1] μορφὴν δούλου λαβών, ἐν ὁμοιώματι ἀνθρώπων γενόμενος· καὶ σχήματι εὑρεθεὶς ὡς ἄνθρωπος” (Nestle-Aland Greek New Testament).

    A pergunta é: “Ele se esvaziou do quê?”

    A) Sínodo de Antioquia (341 A.D.) – Afirmou que Cristo se esvaziou de “ser igual a Deus”, mas defendia a divindade absoluta de Cristo;

    B) Reforma Protestante –Discutiu se Cristo teria se esvaziado de seus atributos como onipotência, onipresença e onisciência sem, contudo, afetar sua divindade;

    C) Teologia do século 18 – Alguns estudiosos afirmaram que Cristo se tornou menos que Deus.

    2 – O VERDADEIRO SIGNIFICADO DESSE CONCEITO

    A) A Passagem central

    A passagem central da kenosis é Fp 2.5-11.

    Almeida Revista e Atualizada (ARA)

    Nova Versão Internacional (NVI)

    5 Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, 6 pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; 7 antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, 8 a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. 9 Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, 10 para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, 11 e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.

    5 Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, 6 que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; 7 mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens. 8 E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até a morte, e morte de cruz! 9 Por isso Deus o exaltou à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome, 10 para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, 11 e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai.

    B) A natureza original de Cristo

    O v.6 apresenta Cristo antes da encarnação existindo em “forma de Deus”. A palavra grega μορφή (morphé) significa “natureza”, “forma visível”,[2] “forma”,[3] “forma pela qual uma pessoa ou uma coisa atingem a visão”, “a aparência externa”,[4] “a natureza ou o caráter de algo, com ênfase na forma interna e externa”.[5] Em outras palavras, é a “substância de um ser ou de algo”.

    A mesma palavra aparece em Mc 16.12. Nesse caso, a μορφή aponta para uma forma diferente da qual Jesus era comumente reconhecido. Entretanto, no caso de Deus que não tem uma forma corpórea, μορφή nos revela que Jesus é da mesma substância ou natureza de Deus. Jesus não existia na pré-encarnação como um ser que não fosse “exatamente Deus”.

    C) O autoesvaziamento

    Foi algo que o próprio Cristo impôs a si mesmo. O autoesvaziamento de Cristo envolve tudo que ele fez para morrer na cruz, incluindo assumir a forma de servo. Ao fazer isso, Jesus foi encontrado em figura humana (σχήμα – skema). Isso indica que ele tinha a aparência de um homem e uma vida como a de um homem. Assim, sendo completamente Deus, Jesus passou a ser em tudo como um homem, com exceção apenas do pecado. Sobre os conceitos de μορφή e σχήμα, Joseph B. Lightfoot escreveu:

    “Sendo assim, que sentido nós devemos associar à ‘forma de Deus’, na qual nosso Senhor preexistia? Nas Homilias de Clemente, o apóstolo Pedro é representado como insistindo em passagens antropomórficas nas Escrituras e sustentando assim que Deus tem uma forma concreta (μορφή – morphé). Diante da objeção do seu oponente de que, se Deus tem uma forma (μορφή) deve ter também uma figura, uma aparência (σχήμα – skema), o apóstolo é forçado a responder aceitando a inferência: ‘Deus tem uma σχήμα; Tem os olhos e as mãos e os pés como um homem; não obstante, não tem nenhuma necessidade de usá-los’ (Clem. Hom. xvii. 3,7,8).

    Não era essa a concepção do apóstolo Paulo com respeito a Deus. Ele não poderia falar nesse sentido sobre a μορφή, nem poderia falar nesse sentido sobre a σχήμα, daquele que é o ‘Rei dos reis e o Senhor dos senhores, o único que possui imortalidade, que habita em luz inacessível, a quem homem algum jamais viu, nem é capaz de ver (1Tm 6.15,16)’. Permanece então que μορφή deve aplicar-se aos atributos da divindade. Ou seja, é usado substancialmente no mesmo sentido que carrega na filosofia grega. Sugere a mesma ideia que é expressa de outra maneira em João por ὁ λόγος τoῦ θεοῦ (o Verbo de Deus), em escritores cristãos das épocas seguintes por υἱός θεοῦ ὢν θεός (o Filho de Deus que é Deus) e no Credo Niceno por θεός ἐκ θεοῦ (Deus de Deus).

    Ao aceitar essa conclusão não é necessário supor que o apóstolo Paulo derivou conscientemente seu uso do termo de alguma nomenclatura filosófica. Havia especificidade suficiente, mesmo em seu uso popular, para sugerir esse sentido quando isso foi transferido dos objetos dos sentidos às concepções da mente.

    Ainda que o apóstolo João tenha adotado λόγος (palavra) e o próprio apóstolo Paulo tenha adotado εἰκών (imagem) e πρωτότοκος (primogênito) da linguagem das escolas teológicas existentes, parece muito longe do improvável que a expressão análoga μορφὴ θεοῦ (forma de Deus) tenha sido derivada de uma fonte similar. As especulações dos judaísmos alexandrino e gnóstico formaram um meio pelo qual os termos filosóficos da Grécia antiga foram trazidos ao alcance dos apóstolos de Cristo.

    Assim na passagem sob a consideração, o μορφή é contrastado com o σχῆμα, como aquele que é intrínseco e essencial com aquele que é acidental e para fora. E as três cláusulas implicam respectivamente a natureza divina verdadeira de nosso Senhor (μορφὴ θεοῦ – ‘forma da Deus’), a natureza humana verdadeira (μορφὴ δούλου – ‘forma de servo’), e o exterior da natureza humana (σχήματι ὡς ἄνθρωπος – ‘figura humana’).”[6]

    O autoesvaziamento de Cristo é o caminho que ele fez saindo da glória e majestade celestial e terminando essa jornada em humilhação e vergonha na cruz do Calvário. Nesse processo está inclusa a encarnação como meio de levá-lo à morte substitutiva.

    Esse processo em nada afeta a divindade de Jesus, nem o uso dos seus atributos divinos. Em vez disso, o autoesvaziamento fez com que o verdadeiro Deus morresse em humilhação, na condição de um homem, para salvar homens perdidos.

    Portanto, na kenosis Cristo se esvaziou e abriu mão de manter sua condição condizente com a divindade, ou seja, viver na glória celestial, e assumiu a humanidade para que pudesse morrer.

    3 – TEORIAS FALSAS SOBRE A ‘KENOSIS’

    A) Cristo abriu mão de alguns ou de todos os seus atributos divinos

    Essa ideia não é sustentável por várias razões:

    · Jesus, em carne, afirmou ser igual a Deus (Jo 10.30);

    · Se Jesus passou a ser menos divino, houve então uma alteração na pessoa de Deus, conceito que colocaria a própria divindade em xeque, já que “Deus não muda” (Tg 1.17);

    · O aspecto substitutivo da morte de Jesus exige que ele seja perfeito homem, ao mesmo tempo que os aspectos propiciatório (satisfez as exigências de Deus) e redentor (resgatou por meio de pagamento) da sua morte exigem que ele seja perfeito Deus a fim de sanar um débito das dimensões do próprio Deus.

    B) Cristo parecia ser homem, pois disfarçava sua divindade

    Cristo não disfarçou sua divindade. Ele apenas assumiu a humanidade. As Escrituras demonstram que a divindade podia ser reconhecida nele (Jo 1.14; 14.9; Hb 1.3).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s